Extremamente alto & incrivelmente perto, de Jonathan Safran Foer

Extremamente alto & incrivelmente perto é um romance inteligente e emocionante, o que já bastaria para justificar a leitura. Mas tem mais: procura achar um ponto de encontro da ficção com a história, e consegue.

O principal narrador é Oskar Schell, menino de 9 anos, bem diferente de seus colegas. Coleciona moedas, pedras, selos e borboletas “naturalmente mortas”, faz origamis, desenha jóias e é ateu, só come vegetais e recheia sua fala de expressões em francês, mantém-se longe da TV e envia cartas a todo mundo – principalmente ao físico Stephen Hawking, seu ídolo. Oskar, sobretudo, tem um vínculo profundo com o pai, com quem passava longos períodos e cujas manias e jogos o absorviam. Só que o pai morreu no “pior de todos os dias”, o do atentado contra o World Trade Center.

Daí em diante, Oskar vive à deriva: leva uma relação tensa com a mãe e apóia-se na avó, que insiste em lembrar o ex-marido, desaparecido muito tempo antes. O signo que o paralisa é o da perda; o que o move é a tentativa de recuperar traços do pai nos objetos guardados no closet da casa. E é no closet que Oskar encontra uma chave dentro de um envelope, com a anotação “Black”. Inicia, então, uma odisséia pela cidade, para além dos limites de Manhattan, em busca de Black e da solução do mistério da chave.

Mas não é, claro, a chave que importa. Oskar quer, com a argúcia detetivesca que seu pai lhe ensinou, entender a estranha relação entre o que perdemos e o que nos resta quando o chão se dissolve. É essa procura – com a óbvia visitação dos infernos reais e imaginários, das noites de insônia e de angústia – que leva o leitor (você, eu) ao choro. Porque é inevitável emocionar-se e, de jeito egoísta, temer que o seu filho e a minha filha vivam algo semelhante – ou, na relação inversa, que nós o vivamos.

Jonathan Safran Foer, o autor, sabe que – não importa o que digam – precisamos de lirismo, ainda mais quando a vida não se ajusta às nossas vontades. E o espalha pelo texto, contendo-o apenas com a inteligente variação narrativa, em que a voz de Oskar é trocada por cartas cuja autoria ignoramos quase até o fim do romance. Dessa forma, evita o excesso. Extremamente alto & incrivelmente perto, afinal, é um livro de escrita caprichada e sofisticada, que não poderia descambar para o melodrama. A ressalva que o leitor mais exigente poderia fazer ao livro vem, aliás, dessa estrutura inteligente, porém excessivamente rígida, que torna algumas passagens mecânicas e se contrapõe ao tom vivaz da trama. É pouco problema, porém, perto do que o livro oferece de bom. Bem pouco, se lembrarmos que Foer conseguiu equacionar um dos problemas mais sérios de quem se dispõe a lidar com a história a quente – com todos os traumas e explicações passionais. E a história aparece latente na trajetória de Oskar, sem ostentar sua força, mas deixando claro que uma vida não se desliga das outras, nem é conduzida plenamente por elas. O tocante desfecho da história revela o quanto não ficamos à mercê da história – barco bêbado – e de seus ritmos erráticos.

Até porque Oskar pode vir, um dia, a assimilar a ausência do pai e talvez chegue – quem sabe? – à conclusão borgeana de que só o que perdemos é nosso. Assim sua vida seguirá. Mas nós, leitores, sabemos que nunca conseguiremos assimilar tudo que perdemos – principalmente jamais assimilaremos o medo da perda, que é anterior à própria e, por abstrato, incontrolável.

 

Jonathan Safran Foer. Extremamente alto & incrivelmente perto. Rio de Janeiro: Rocco, 2006 (original: 2005; tradução: Daniel Galera)

Anúncios

2 pensamentos sobre “Extremamente alto & incrivelmente perto, de Jonathan Safran Foer

  1. Professor, sou sua aluna do semestre passado de América Independente e, infelizmente, perdi o endereço de seu e-email.
    Gostaria de alguma ajuda com História e também pegar meu trabalho corrigido…
    Mais que isso, acompanho suas resenhas neste blog há alguns meses, apesar de não ter lido quase nenhum dos livros que constam aqui.
    Abraço!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s